Wednesday, March 12, 2008

Erasmus - Part I




Antes de iniciar este blog devo avisar que, este deve, e poderá bem ser, de difícil leitura. Não só pela falta de arte e engenho do autor, mas também por ele próprio retratar um tema que é por si só, confuso, estranho e indefinível.




Parto novamente de Lisboa. No entanto, hoje ela está mais cinzenta, mais fria. Mais triste do que nunca. Parto sem o sabor amargo de uma despedida. Parto como quem vai, e não volta.

Passou meio ano desde que comecei o meu erasmus em Florença. Inicialmente iria ficar meio semestre mas acabei por ficar um ano. Aqui começa a segunda parte do meu Erasmus. Mesmo que quisesse contar todas as histórias do primeiro semestre isso seria impossível. Faço então um resumo do que para mim foi, e tem sido, o erasmus até agora.


Nunca gostei das pessoas que dizem que para compreender uma determinada coisa temos que passar por ela. Não acho que sejamos assim tão [LIMITADOS]. No entanto, sou levado a reconhecer que com o Erasmus (como me tinham dito), a coisa funciona um pouco assim. Cheguei precisamente a 15 de Setembro. Todo eu era vontade, ingenuidade e especialmente, muita inexperiência. Sempre fui aquele puto mimado que nunca mexeu uma palha, nunca descascou uma cebola e nunca tratou de nada sozinho. Rapidamente percebi que, ou mudava, ou o meu Erasmus seria no mínimo uma grande catástrofe. Felizmente e após algum esforço, fui fazendo um pouco pela vida.

Demorei um pouco no início mas rapidamente criei hábitos. Comecei a lidar com a adversidade e tomei um gosto especial na aprendizagem. Tive problemas de todo o tipo: - Casa num c@0$, senhoria que nos tentava roubar a todo o custo, problemas nas equivalências da faculdade, péssima gestão do dinheiro, inexperiência doméstica aguda (só lavei a minha roupa depois de um mês, quando já não tinha qualquer peça de roupa disponível), chatices com uma das raparigas com quem morava, sofrida paixão por uma super modelo, perda do B.I. A lista podia continuar até ao fim dos meus dias. Para ajudar à festa, tudo isto aconteceu na primeira semana. O choque que se abate sobre nós é inacreditável e na altura, apesar de completamente previsível ele é também, completamente inesperado. É irónico quando vejo que na altura me julgava preparadíssimo para o Erasmus.


Os meses passaram a correr e as coisas foram melhorando (será que sim?). Fazia um esforço por conhecer pessoas novas e, se fossem do sexo feminino, melhor ainda. Setembro passou sem eu dar por ele. Outubro, Novembro e princípios de Dezembro seguíram-se como os meses de maior festa. Festa diária, alimentada pelo habitual e famoso combustível (whisky cola ou vodka limão), que chegou a fazer-me passar duas semanas sem ver a luz do dia (depois do meu primeiro exame dia 28 de Novembro, no qual tive 28 em 30 e senti uma exagerada necessidade de celebrar).


Nunca fui aquele rapaz que ia muito às aulas. No entanto, estudei sempre (e bem!) para todos os meus exames. Consegui um aproveitamento bastante positivo, melhorei bastante na língua e fui, aos poucos e poucos, muito lentamente, alcançando um maior equilíbrio entre uma vida pouco saudável e uma vida minimamente sana. Descobri novas pessoas, novos pratos de cozinha, novas raparigas, novos amigos, novos sítios. Descobri um pouco mais de mim próprio. Apaixonei-me por Florença e senti que estava a viver mais, senti-me renovado, senti-me como nunca. Senti-me simplesmente feliz.


Não caiam no erro de pensar que eu sou agora um miserável infeliz que rasteja por entre as mais ínfimas ruas da amargura fazendo da lama o seu cálice mais sagrado. Nada disso. Lembrem-se que estamos só em retrospectiva.

Voltei em Dezembro. Foi espectacular. Tive com todos os meus amigos e entre nós, foi como se o tempo não tivesse passado. Após grande conversa com os meus pais, acabou por ficar decidido que ficaria um ano. Mais uma vez, os meus maravilhosos pais cederam e confiaram em mim, apesar de não terem especial razão para o fazer. Desta vez provei que tinha razão e, quando voltei, fiz as minhas três ultimas cadeiras nas quais tive 30/30 e nas outras 28/30. Dois dos meus grandes amigos visitaram-me e foi como reviver um pouco de Lisboa. O primeiro semestre acabava. Alguns dos meus melhores amigos iam-se embora e com eles, um pouco de mim. Novamente quando não esperava, desabaram sobre mim mil problemas. Senti-me completamente desmotivado e deprimido. Passados dois dias e depois de algum esforço, tinha praticamente resolvido tudo o que, apenas dois dias antes, me parecera impossível de ultrapassar.


Voltei, um pouco cansado, a Portugal. Encontrei, ao contrário de quando voltei no Natal, uma Lisboa mais cinzenta. Durante esta semana identifiquei-me menos com os meus amigos (salvo raras excepções). Reparei que aqui tudo continuava igual e que as pessoas dedicavam a maior parte do seu tempo a questões que, a meu ver, não tinham realmente importância ou valor. Senti falta das jantaradas sem grandes formalidades e custou-me ouvir o tradicional “almoçaste hoje? Não chegues tarde”. Senti-me preso, mais cansado e senti que aqui, dava menos de mim. Estou neste momento no comboio para o porto, onde vou apanhar o avião para Florença. Sem saber bem porquê, decidi agora escrever. Finalmente consegui, após inúmeras tentativas e alguns meses de inactividade total.


Parto, tal como da primeira vez, cheio de vontade e com mais alguma experiência. Tento no entanto, não cair novamente no erro de pensar que vou preparado. Sei que não vou. E, sinceramente, espero não ir. Espero aprender mais, ser surpreendido e passar maus bocados. Espero também ser forte o suficiente para os conseguir superar. Espero pelas longas noites com os meus novos velhos amigos. Vou feliz e aberto para tudo o que vier, vou expectante e descansado. Erasmus, part II,

venha ele!

4 comments:

lavo as maos said...

ai. que vida tão dura.
Como as pilhas duracell.
dura... e dura... e dura...

Stoyan said...

sou só eu ou por acaso estás a tentar fazer uma ''residencia espanhola'' em versao blog

Anonymous said...

Olá,
Olha estou a pensar em ir fazer erasmus para florença, e tenho até ao final desta semana para decidir.
Vou-te dar o meu mail para que, se possivel, me possas adicionar no msn, e podermos falar sobre a realidade do erasmus!
Patrick.a.fernandes@hotmail.com

Obrigado

Pipoca said...

este blog ja deve ter anos, mas descobri-o agora. E estou deliciada.

Estou em Pisa, mesmo aqui ao lado.