Sunday, March 16, 2008

Papilas Gustativas

Voltei para Florença com um objectivo principal, o de conhecer mais gente. Não queria habituar-me às coisas que já conhecia e continuar a dar-me só com as mesmas pessoas. É necessário um esforço para inverter a tendência natural das coisas. Até agora acho que não poderia estar a correr melhor. Ontem devo ter tido um dos meus melhores dias aqui. Apetecia-me escrever algo sensato, memorável, mas não estou minimamente para aí virado.


Posso, e vou, dizer-vos que estou a comer um belo de um cheesecake, com pequenos morangos minuciosamente cortados no topo. Ao lado da imponente fatia (mesmo!), está um denso suco de frutos silvestres. Misturados, todos estes elementos, provocam o derradeiro deleito do paladar. Enquanto o sabor macio e suculento da massa, que se apresenta uniforme com a bolacha da base, mostra todo o seu potencial; os morangos, por sua vez, dão o essencial toque, refrescante e natural. Toque este que acaba com toda e qualquer (remota) possibilidade de este bolo se tornar, eventualmente, enjoativo. Depois de vos ter contextualizado, resta referir o último, mas não menos importante, facto relevante. Quando ingerido, este bolo não é mastigado de maneira rude, bruta, ou até castiça. Este bolo, pelo contrário, é simplesmente dissolvido. Imediatamente estimuladas, as papilas gustativas (sejam elas filiformes ou circunvaladas) passam imediatamente uma mensagem inequívoca ao cérebro: “Que maravilha”.

3 comments:

Madalena said...

Devo dizer que este postculinário foi um bocado weird.
Os pêlos dos meus braços eriçaram-se-me quando juntaste as palavras "papilas gustativas filiformes circunvaladas". Creepy

FILIPA said...

Mas o que é que tu andas a ler sobre cheesecakes para tal descrição?!

Inês said...

all i have to say about this... MUNCHIES!! besos* see you..;)